sexta-feira, 20 de julho de 2012

Mikhail Baryshnikov


Mikhail Baryshnikov, considerado como um dos maiores bailarinos da história, nasceu em 1948 e começou a estudar balé aos 12 anos. Em 1964 ingressou na Escola Vaganova para continuar os seus estudos de ballet e foi aluno da escola do Mariinski, estreando-se em 1967, passados apenas três anos já era primeiro bailarino da companhia.
Ele logo começou a ganhar honras e os papéis de liderança em grandes ballets. Ao vê-lo dançar na União Soviética, Clive Barnes, um crítico do New York Times, chamou-o de o mais perfeito bailarino que já tinha visto. Baryshnikov decidiu se mudar para o oeste. Primeiro ele desertou para o Canadá, em seguida, fez o seu caminho para os Estados Unidos. Durante seus primeiros dois anos longe da Rússia, ele dançou com 13 coreógrafos diferentes.
Em 1978, Baryshnikov se tornou o principal bailarino do New York City Ballet, sob a direção de George Balanchine. Com seu estilo distinto ele ganhou muitos papéis principais, embora nunca Balanchine tenha criado um novo trabalho para ele. Em 1980, ele mudou seu papel de intérprete onde posteriormente se tornou diretor artístico do American Ballet Theatre.
Baryshnikov começou a dançar para a televisão americana em 1976. Em 1977, a CBS trouxe a produção do Quebra-Nozes, no American Ballet Theatre para a televisão. A produção continua a ser a famosa produção televisiva mais popular e mais frequentemente mostrada do Ballet Quebra-Nozes. Ele também retratou um famoso bailarino russo em 1977 no filme The Turning Point, recebendo uma indicação ao Oscar. Mais tarde, ele estrelou o filme de 1985 White Nights, e Sex and the City. Participou também de outros filmes O Último Dançarino de Mao, Annie Leibovitz: A vida Através Das Lentes, O Sol Da Meia-Noite e o filme Momento de Decisão. 
Em 1998 surpreendeu o público com um espetáculo de criações contemporâneas. Segundo as suas próprias declarações: “O ballet clássico é para jovens. O que mais me fascina na dança contemporânea é a possibilidade de interpretar a nossa própria idade”.
Misha, diminutivo como é conhecido, afirmou um dia que “Não tento dançar melhor do que ninguém. Tento apenas dançar melhor do que eu mesmo”.
Em 2005, ele abriu o Baryshnikov Arts Center (BAC), um lar criativo para artistas locais e internacionais desenvolverem e apresentarem trabalhos. Dentre os vários prêmios de Baryshnikov estão Kennedy Center Honors, a medalha de honra nacional (dos Estados Unidos), o Prêmio do Bem-estar e recentemente oficial da Legião da Honra (da França).
Até hoje ele surpreende muito dançando com seus mais de 60 anos.

 
Beijos pessoal e até a próxima!
Jakeline Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...